Decisão restabelece a vigência da Resolução Nº 51 do CAU/BR em Minas Gerais – CAU/SP

Portal da Transparência

Notícias

Decisão restabelece a vigência da Resolução Nº 51 do CAU/BR em Minas Gerais

Publicação

16.07.2015

Categorias:

Escrito por:

Redação CAU/SP

Compartilhar

Decisão restabelece a vigência da Resolução Nº 51 do CAU/BR em Minas Gerais

Igreja São Francisco de Assis da Pampulha
Igreja São Francisco de Assis da Pampulha, (Oscar Niemeyer, 1943), em Belo Horizonte/MG. Imagem: Antonio Thomás Koenigkam Oliveira/Flickr CC.

O CAU/MG conseguiu uma vitória na Justiça a favor da Resolução 51/2013, que dispõe sobre as áreas de atuação privativas de arquitetos e urbanistas.

Julgando um Agravo de Instrumento interposto pelo CAU/MG, o Tribunal Regional Federal da 1ª Região cassou uma liminar anterior que suspendia parte da Resolução 51 no Estado de Minas Gerais.

Veja abaixo a íntegra do comunicado do CAU/MG:

O Desembargador Federal Marcos Augusto de Sousa, integrante da 8ª Turma do Tribunal Regional Federal da 1ª Região, em decisão disponibilizada no dia 14 de junho de 2015, no Diário de Justiça Eletrônico, decidiu por julgar procedente Agravo de Instrumento interposto pelo CAU/MG, cassando, dessa forma, a liminar proferida na Ação Civil Pública nº 0056507-71.2014.4.01.3800, que suspendia parte da Resolução 51 do CAU/BR, naquilo que fosse relativamente à definição, como privativas de arquitetos e urbanistas, de atividades exercidas por profissionais e empresas registrados no CREA/MG, ao amparo dos Decretos 23.569/33, 23.196/33, da Lei 5.194/66 e de outras leis especiais e resoluções do CONFEA.

A Resolução especifica as atribuições privativas dos arquitetos e urbanistas, entre essas o projeto arquitetônico nas mais diversas modalidades.

A ação anulatória de ato normativo, com pedido de tutela antecipada, foi proposta pelo CREA/MG em meados de 2014, sob os argumentos de que a Resolução 51 teria apontado como privativas dos arquitetos e urbanistas “inúmeros” campos de atuação dos engenheiros civis, entre eles a concepção e execução de projetos de Arquitetura.

Inicialmente, a liminar suspendia os poderes de fiscalização do CAU/MG referente a toda Resolução 51 do CAU/BR.

Opostos embargos de declaração o juiz federal julgou-os procedentes para que a Resolução 51 do CAU/BR ficasse suspensa apenas naquilo que estivesse ao amparo dos Decretos 23.569/33, 23.196/33, da Lei 5.194/66 e de outras leis especiais e resoluções do CONFEA.

Referida decisão determina que a Resolução 51 é válida e deve ser respeitada por todos, tanto no setor público como no privado.

O CAU/MG vem sendo representado junto ao TRF-1 pelo seu Procurador Dante Maia Silva.

Saiba mais: Resolução 51/2013

Publicação

16.07.2015

Escrito por:

Redação CAU/SP

Categorias:

Compartilhar

NOTÍCIAS RELACIONADAS
12.04.2024

Como participar dos editais de Fomento do CAU/SP?

capa fomentos.3

Os Editais de Fomento consolidando as parcerias entre CAU/SP e a sociedade civil.

Como contratar um arquiteto?

É recomendável contratar um profissional da Arquitetura e Urbanismo considerando três aspectos: combinando as regras; levantando as necessidades e como o arquiteto e urbanista trabalha.

Contrate um arquiteto! Conheça 12 passos que você deve saber antes de construir ou reformar.

Pular para o conteúdo